André

O que o grupo sabe sobre documentários!

Postado em Atualizado em

Não podemos dizer que já sabemos como fazer um documentário, mas não podemos ter a ignorância de dizer que não sabemos nada sobre essa categoria. Nossos professores nos deram uma base, ou uma introdução sobre o que é um documentário e como ele deve parecer, isso por meio de fichas, projetos de anos anteriores e até demonstrações de alguns documentários, como por exemplo: Verdade 12.528. Há pouco tempo, pensávamos que um documentário fosse algo que buscasse informar e só, mas recentemente percebemos que é muito mais do que isso, um documentário, além de informar, pode formar novas opiniões em telespectadores mostrando uma realidade que não foi apresentada a eles ainda, como é o caso do Verdade 12.528, que mostrou aos alunos do 2º ano as realidades de pessoas que perderam familiares e a intensidade com que essa dor permanece até hoje.
Bom, ainda não podemos dar muitas informações sobre o que é um documentário e como fazê-lo, mas esperamos que mais pro final do ano possamos dar mais informações a vocês pelo conhecimento adquirido da nossa experiência futura.

Anúncios

Primeiras Impressões do Projeto, André Castello Branco

Postado em Atualizado em

Estudo do meio. Quando me vem esta palavra, principalmente por causa da minha antiga escola, eu penso imediatamente em uma viagem para outro estado ou até para o interior. Uma viagem com o intuito de”aprender” mas que, na verdade, apenas nos divertimos. Tendo em vista isso, dois anos atrás, quando minha irmã mais velha estava no terceiro ano, ela chegou em casa e, com uma cara triste, deu a notícia de que o estudo do meio daquele ano seria no próprio centro de São Paulo. Neste momento, eu fiquei meio confuso, pensando por que o estudo do meio seria em São Paulo, na São Paulo em que vivemos e conhecemos desde pequenos. Aquela notícia gerou uma grande comoção em casa, e minha mãe, do jeito que ela sempre foi, foi “brigar” com os coordenadores na palestra de apresentação do projeto. Depois de tudo, a direção da escola não mudou a prosposta do passeio e lá foi a minha irmã ao centro da cidade. Depois de alguns dias ela voltou falando que aquela foi uma das melhores viagens com a escola que ela já tinha feito e minha mãe arrependida com o que tinha feito mandou uma carta de desculpas à escola.

Depois de dois anos, cá estou e com o que tenho escutado, e o que me lembro da minha irmã ter me falado, cada dia que passa, fico com uma maior vontade de ir para essa viagem e aproveitar o máximo que puder. Porém, a ideia do projeto de fazer um mini-documentário alem de outras coisas, como um blog, não me persuadiram tanto, pois acho que consumirão grande parte do meu tempo ao longo do ano, mas também acredito que quanto mais tempo passar mais vou ficar pessoalmente relacionado com o tema e essa “parte chata” vai se tornar um prazer.